segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Medo*

Medo

Às vezes eu sinto
Que queria estar
Num lugar
Onde os pássaros cantam sua mais doce alegria,
Mas acho que vivo
Num cemitério
Onde apenas corvos cantam sua triste sonata.
Eu queria poder tocar o lago...
Mas ele é tão frio que isso me congelaria a alma.
Mas mesmo assim eu me sento em sua beira,
Mas não ouso tocá-lo, para não me afogar.
Quem sabe algum dia eu alcançarei a lua...
Ela reflete o brilho de todos nós...
Quero sair do sol
Que me consome a cada instante,
Me queimando cada lembrança,
Só deixando a pior memória,
Como cinzas,
Que se espalham pelo vento
E sussurram em meu ouvido:
-Sua alma será torturada para sempre...
E essa brisa ri,
Como se fosse a sua maior ascensão,
A minha queda...
E agora
Eu vago por essa escuridão,
Arrastando correntes,
Levando pânico
A todos aqueles seres
Que se acham puros,
E por sua pureza falsa não me compreendem...
E me levam para longe do que eu deveria ser...

(Lady Bel Nepthuny)
*Saturn's Sis

Nenhum comentário: